Informações gerais sobre o evento

APRESENTAÇÃO

O I Simpósio Internacional Arqueologia de Engenhos tem por objetivo congregar, divulgar e ampliar o conhecimento e a produção acadêmica sobre a temática da Arqueologia de Engenhos, considerada um campo de estudo interdisciplinar. Nesta perspectiva, este simpósio dedica-se a discutir sobre os espaços físicos e o universo social dos Engenhos.

Entende-se por Engenhos todas as atividades produtivas que interligam as técnicas produtivas e as relações de produção, tais como a do açúcar, café, fubá, transporte e outras. Busca-se incentivar o intercâmbio de reflexões teórico-metodológicas sobre as práticas do cotidiano e da vivência cultural nos Engenhos, lançando um olhar mais crítico sobre estas dinâmicas.

Ocorrerá em paralelo ao Simpósio o I Seminário de Arqueologia e Patrimônio Cultural em Pernambuco que tem por objetivo divulgar e debater as pesquisas arqueológicas que estão sendo desenvolvidas no estado.

Tais questões serão tratadas a partir de quatro eixos temáticos, tendo a Arqueologia como disciplina aglutinadora desses olhares:
- Paisagens construídas;
- Tecnologias, Produção e Consumo;
- Políticas e Estratégias de Preservação e Conservação;
- Arqueologia e Patrimônio Cultural de Pernambuco.

Dessa forma, o evento contribuirá para a consolidação desse campo de estudo interdisciplinar e possibilitará um importante intercâmbio da produção nacional e internacional sobre o tema, contando com pesquisadores de várias regiões do Brasil, além de Pernambuco, como de Portugal, Espanha e do México.

Apresenta-se uma rica programação composta por conferências, mesas redondas com temáticas variadas, apresentação de pesquisas em comunicações temáticas, pôsteres e visitas técnicas a museu, engenhos e a uma escavação arqueológica que ocorrerá simultaneamente ao evento.

EIXOS TEMÁTICOS PARA AS COMUNICAÇÕES:

1 - Paisagens e Pessoas
Estudos sobre a paisagem têm crescido na Arqueologia Histórica nas últimas décadas, aliados particularmente aos estudos de centros urbanos e propriedades rurais. O estudo da paisagem no contexto de engenhos permite interpretar seu papel desde, por exemplo, a consolidação de vastas regiões e territórios até o significado da entrada de uma senzala. As pessoas e as construções do engenho se articulam e se desafiam, uma vez estruturando relações sociais, outra se tornando agentes no conflito e resistência das mesmas. O eixo temático proposto tem por objetivo a exploração das diversas formas nas quais os arqueólogos compreendem os engenhos: através da relação entre paisagens naturais e culturais e as pessoas que os construíram, utilizaram e modificaram.

2 - Tecnologias, Produção e Consumo
Este eixo temático tem como proposta apresentar e discutir os temas que estão relacionados com as investigações arqueológicas que tratam da produção e consumo dos engenhos, elementos materiais associados com os lugares de memória social, como também as problemáticas associadas às pessoas e aos grupos que foram silenciados nos “antigos” discursos históricos. Nesta sessão temática entende-se o espaço dos engenhos articulado em relação às pessoas, lugares, produções, consumo, políticas e identidades. Aqui se incluem os trabalhos que discutem os diferentes significados dos engenhos, assim como os processos sociais e os atores que ocuparam, transformaram e ressignificaram esses espaços com suas ideologias.

3 - Políticas e Estratégias de Preservação e Conservação
Considerando as mudanças ocorridas no âmbito das políticas públicas como os processos de descentralização, redemocratização, mudanças legais e institucionais, as alterações nas formas de uso e apropriação do espaço, em especial para os engenhos e os processos de preservação do patrimônio, destacam-se algumas questões que nortearão as nossas discussões: É possível a consolidação e aplicação de novos paradigmas para as políticas de preservação e conservação do patrimônio? Tem havido renovação nas políticas de preservação do patrimônio, em especial para o patrimônio arqueológico? Ainda dentro dessa perspectiva, é objetivo trazer para o centro dessa discussão as ações de salvaguarda, as pesquisas, os vários agentes e atores envolvidos nos processos de preservação do patrimônio cultural/ambiental para o universo dos engenhos.

4 - Arqueologia e Patrimônio Cultural de Pernambuco
Este eixo temático está vinculado ao Seminário e visa criar um espaço onde os pesquisadores possam refletir as teorias e os procedimentos metodológicos nos diversos campos da pesquisa arqueológica. Procura-se estabelecer estratégias de pesquisa, gestão e divulgação do patrimônio arqueológico e cultural para a comunidade científica e ao público em geral. Neste contexto, apresentam-se ainda as pesquisas que estão sendo desenvolvidas no litoral Norte, em particular no município de Abreu e Lima, onde, com a comunidade local serão discutidas as propostas para a preservação e conservação dos sítios arqueológicos do município.

LOCAL

O evento é realizado pelo Departamento de Arqueologia, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas – CFCH, da Universidade Federal de Pernambuco, no Recife, entre os dias 23 e 26 de setembro de 2015.

Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas – CFCH
Av. Acadêmico Hélio Ramos, s/n - Cidade Universitária
Recife – Pernambuco

Para informações detalhadas sobre a programação, acesse o link Programação

A UFPE oferecera aos estudantes de outros estados a hospedagem. Os alunos devem enviar os dados abaixo para o e-mail contato@engenhosarqueologia.ufpe.br
- Nome Completo
- Data de Nascimento
- RG
- Curso
- Instituição
- Endereço
- Telefone
- E-mail

CONFERENCISTAS E CONVIDADOS

Luís Cláudio Pereira Symanski

Possui graduação em Arqueologia pela Universidade Estácio de Sá (1993), mestrado em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997), PhD em antropologia - arqueologia pela University of Florida (2006). Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Arqueologia Histórica, atuando principalmente nos seguintes temas: arqueologia histórica, arqueologia da diáspora africana, teoria da prática, teorias de contato cultural, grupos domésticos. É professor adjunto do Departamento de Antropologia e Arqueologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Minas Gerais. É professor colaborador do programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal do Paraná. Editor da Vestígios - Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica. Bolsista de produtividade do CNPq, nível 2

Christine Paulette Yves Rufino Dabat

Formada em História pela Universidade de Genebra e doutora pela Universidade Federal de Pernambuco (2003), é professora adjunta no Departamento de História desta Universidade. Tem experiência de pesquisa na área de História da Agricultura, com ênfase em História do Açúcar principalmente nos seguintes temas: história da sacaricultura; história das relações de trabalho na zona canavieira de Pernambuco; história fundiária e história das relações homem/natureza. Ministra também disciplinas em História Medieval e Introdução à História da China contemporânea. Membro da coordenação do Instituto de Estudos da Ásia. Editora dos Cadernos de História.

Marcos André Torres de Souza

Professor Adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Antropologia e Arqueologia. Possui graduação em Arqueologia pela Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, mestrado em História pela Universidade Federal de Goiás, Doutorado em Antropologia por Syracuse University, EUA, e pós-doutorado pelo Museu Nacional / UFRJ (CNPq). Investiga sítios históricos e, em particular, àqueles associados à Diáspora Africana. Tem interesse de pesquisa na arqueologia da paisagem, tópicos ligados à reformulação, emergência e reprodução de práticas culturais e sociais, bem como os processos culturais decorrentes de diásporas e movimentos migratórios de larga-escala. Dedica-se à análise de sítios e artefatos históricos provenientes de contextos da África e de diferentes regiões do Brasil. Atualmente, coordena o projeto Perspectivas Atlânticas da Diáspora Africana , que tem como objetivo central o estudo arqueológico e documental de alguns dos impactos e consequências do processo de dispersão de africanos no Brasil durante a época do tráfico atlântico de escravos.

Carlos Alberto Etchevarne

Doutorado em Quaternaire, Geologie et Pré-Histoire pelo Museum National D Histoire Naturelle, Paris. Professor da Universidade Federal da Bahia. Professor da Pós-Graduação em Arqueologia da UFPE. Pesquisador colaborador do Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto. Coordenador do Grupo de Pesquisa Bahia Arqueológica (UFBA/CNPQ), com estudos focados em arqueologia baiana do período pré-colonial (especialmente em arte rupestre) e do colonial, com ênfase em cidades.

Bartira Ferraz Barbosa

Licenciada e bacharel em História pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (1987), com mestrado em História do Brasil Colonial pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (1991) e doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo - USP (2004), é Professora Associada do curso de História da UFPE. Leciona na graduação sobre História de Espanha e Portugal na disciplina História dos Impérios Português e Espanhol e a disciplina Iniciação a História da Arte; ministra os cursos Cartografia Histórica do Período Colonial, História da Arte e História do Indigenismo no Brasil na Pós-Graduação em História da UFPE. Também é professora do curso Cartografia, Paisagem e Etno-História no Programa de Pós-Graduação em Arqueologia da UFPE. Tem experiência na área de História do Brasil Colonial, atuando principalmente nas seguintes sub-áreas: Etno-história, Colonização, Cartografia Histórica, História da Arte Brasileira, Patrimônio e Memória. Membro do Grupo de Pesquisa CINAF- Grupo de Investigacíon sobre Culturas Indígenas i Afroamericanas da Universidade de Barcelona e das linhas de pesquisas CNPq: 1)Diásporas, Contatos e Enredos Culturais; 2)Relações de Poder, Sociedade e Ambiente.Trabalha em projetos interdisciplinares envolvendo as áreas de história indígena, arqueologia de contato, cartografia, geografia, meio ambiente e desenvolve trabalhos científicos com análise sobre a construção dos espaços colonias.

Carlos Alberto Cunha Miranda

Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (1978), mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1988) e doutorado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1997). Atualmente é professor adjunto 4 da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Medicina, História das Religiões, Eugenia e Urbanismo.

Marcus Joaquim Maciel de Carvalho

Professor Titular de História da Universidade Federal de Pernambuco. Ph.D em Historia pela University of Illinois at Urbana-Champaign (1989)., Mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1986), Master of Arts em Historia - University of Illinois (1985) e Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Recife (UFPE, 1980), com Pós-Doutorado na École de Hautes Études en Sciences Sociales. Ensina cadeiras de História do Brasil, História das Américas, História da Escravidão e História da África, atuando principalmente nos seguintes temas: escravidão e tráfico de escravos, e a História Social do chamado "Ciclo das Insurreições Liberias do Nordeste"."

Dr. Scott Allen

Possui graduação em Ciências Sociais - University Of Maine System (1991), mestrado em Antropologia - Brown University (1995) e doutorado em Antropologia - Brown University (2001). Atualmente é professor associado do Departamento de Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco, pesquisador colaborador na área de Arqueologia na UFAL, pesquisador associado no Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto e pesquisador colaborador do grupo de estudo Cultures Indígenes i Afroamericanes (CINAF) da Universidade de Barcelona. Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Teoria e Método em Arqueologia, atualmente atuando principalmente nos seguintes temas: arqueologia de contato e enredos culturais, métodos e técnicas de pesquisa em Arqueologia Histórica.

Marcos Galindo Lima

Graduado em Biblioteconomia (1984), mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1994) e doutor em História pelo Departamento de Línguas e Cultura da América Latina da Leiden University Países Baixos (2004). É Professor do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco e do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação. Coordenador científico do Laboratório de Tecnologia do Conhecimento - Liber onde desenvolve os projetos Rede Memorial de Pernambuco e Preservação da memória digital: um panorama brasileiro. Áreas de Interesse: Teoria da Informação, Memória e Uso de tecnologia em sistemas memoriais. Atualmente é Diretor de Extensão e Cultura da UFPE.

Marcos Antonio Gomes de Mattos de Albuquerque

Dedica-se a pesquisa arqueológica ininterruptamente desde 1965, junto ao Laboratório de Arqueologia do Departamento de História da UFPE. Atualmente, como professor Adjunto IV aposentado, continua atuando como professor voluntário, tanto no Laboratório de Arqueologia como na Pós-Graduação em Arqueologia, (Mestrado e Doutorado), ministrando cursos e participando na orientação de alunos. É pesquisador do CNPq e consultor Ad Hoc de diversas instituições de Pesquisa no Brasil e no Exterior. Realiza pesquisa pura, como a descoberta e escavação de sítios como: A primeira Sinagoga das Américas, a Kahal Zur Israel, a cidade de Mazagão, transplantada do Marrocos para a selva amazônica no século XVIII, a primeira Igreja Jesuítica em Pernambuco, a primeira Feitoria Régia no Nordeste, e mais, outras tantas pesquisas, que tem contribuído para o melhor entendimento do período pré e pós-colonial brasileiro.

Rosana Pinhel Mendes Najjar

Possui graduação em Arqueologia pela Universidade Estácio de Sá (1983), especialização em Arqueologia pelo Museu Nacional / UFRJ (1988), mestrado em Arqueologia pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Arqueologia pela Universidade de São Paulo (2005). É arqueóloga do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1983, atuando na preservação e gestão do patrimônio arqueológico, tendo também coordenado diversos projetos de pesquisa arqueológica em projetos de restauração. É professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura (PROARQ) da FAU da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do curso de Especialização em Arqueologia da Universidade Estadual do Amapá. Tem larga experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Preservação do Patrimônio Arqueológico, atuando principalmente nos seguintes temas: preservação, restauração, arqueologia histórica e educação patrimonial. 

Dra. Maria da Conceição Lopes

Professora Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Licenciada em História - Variante de Arqueologia pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra no ano de 1984. Obteve o Diplôme d'Études Approfondies (D.E.A.) na Université de Bourdeaux III, no ano de 1987. Prestou Provas de Aptidão Científica e Capacidade Pedagógica em 10 e 11 de Janeiro de 1992, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Doutorou-se pela Universidade de Coimbra, no ano de 2000, defendendo a dissertação “A cidade Romana de Beja”.

Dr. Pedro Jiménez Lara

Desenvolve suas atividades acadêmicas como pesquisador em tempo integral no Instituto de História Social Research, licenciado em Antropologia e Arqueologia, com especialidade na Universidad Veracruzana, o curso de mestrado em Antropologia Social e Etnologia em Paris I Sorbonne, também realizou um PhD Etnologia e Antropologia Social, Paris I Sorbonne.

Dr. Jose Luis Ruiz-Peinado Alonso

Licenciatura em História pela Universidade de Barcelona (1994). PhD em Antropologia Cultural pela Universidade de Barcelona (2001). Professor Associado (2001) e professor na Universidade de Barcelona (2005). Membro do CINAF (i afroamericanes indígenas Cultures: História (s), Identidades e Cidadania).

Dra. Neuvania Guetti

Possui em Licenciatura em Química pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1986), Mestrado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004) na linha de pesquisa - História e Preservação do Patrimônio Cultural e Doutorado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2008) na linha de pesquisa - Planejamento, Projeto e Preservação dos Espaços Turísticos e de Lazer. Atualmente é Professora Professor Adjunto do Departamento de Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco e participa como pesquisadora do Grupo de Pesquisa Arqueologia Forense e da Morte. Tem experiência na área de Conservação e Restauro, com ênfase em Conservação Arqueológica, atuando principalmente nos seguintes temas: Conservação Arqueológica, Conservação Preventiva e Tecnologia/Material pétreo (Proteção e manutenção), Patrimônio, Preservação Planejamento e Turismo.

Dra. Cláudia Oliveira

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1983), mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1990) e doutorado em Arqueologia pela Universidade de São Paulo (2000). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Arqueologia Pré-Histórica. Atua principalmente nos seguintes temas: pré-história do nordeste, grupos pré-históricos ceramistas, patrimônio cultural, turismo cultural, história colonial e arqueologia histórica.

Levy Pereira

Especialista em Gerência de Redes de Computadores pela Universidade Potiguar – UNIPEC e Especialista em Engenharia de Sistemas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN. É sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte. Consultor do Laboratório de Arqueologia do Departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE, na área de Cartografia Holandesa e Colaborador do Laboratório de História Social-LHS, da Universidade de Brasília - UnB, no site Atlas Digital da América Lusa.

Dr. Carlos Rios

Graduado em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS pela Universidade Federal de Pernambuco (1979), MSc e PhD em ARQUEOLOGIA (UFPE, 2007 e 2010). Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Arqueologia Subaquática. Suas principais linhas de pesquisa são: naufrágios da costa pernambucana, turismo arqueológico subaquático, sítios depositários, navios negreiros, embarcações primitivas. Atualmente é Professor Adjunto da UFPE.

Ms. Marcelo de Brito Albuquerque Pontes Freitas

Possui graduação em Arquitetura pela Universidade Federal de Pernambuco (1987) e mestrado em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco (1992). Atualmente é técnico I - arquiteto e urbanista da Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco. Tem experiência acadêmica na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo, e na área de Patrimônio Cultural, com ênfase em conservação e restauro, gestão e planejamento.

Ms. Antonio Carlos Montenegro

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (1981) e Especialização em Políticas Culturais (1999) pela Universidade Federal de Pernambuco. É funcionário da Fundação Joaquim Nabuco, onde ocupou os cargos de Coordenador-geral do Museu do Homem do Nordeste (1993 - 2003) e do Laboratório de Pesquisa, Conservação e Restauração de Documentos e Obras de Arte (2003 - 2012). Entre 1992 e 1993, foi professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco - Faupe (Associação Latino-americana de Educação). Tem experiência em Arquitetura e Artes Visuais e Gestão de Museus, atuando principalmente nas seguintes áreas: coordenação de projetos de planejamento de exposições e de conservação e restauração de acervos e bens culturais. Recentemente coordenou o projeto de restauração e requalificação do Engenho Massangana, monumento histórico sob a gestão da Fundação Joaquim Nabuco. Em 2012 foi presidente da Comissão para Elaboração do Curso de Gestão de Acervo Bilbiográficos, Arquivísticos e Museológicos na metodologia EAD.

INSCRIÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Modalidade de participação

- Ouvinte
- Comunicador -> Comunicação Oral
- Comunicador –> Pôster

Poderão submeter os resumos de trabalhos os professores, pesquisadores e estudantes das diversas áreas relacionadas a produção científica dos eixos temáticos propostos.

Valores e prazos de inscrição

Participantes Inscrições até 30 de Agosto Inscrições após 30 de agosto
Profissionais R$ 180,00 R$ 200,00
Estudantes de Pós-graduação R$ 90,00 R$ 110,00
Estudantes de graduação R$ 50,00 R$ 70,00
Professores da rede pública de ensino R$ 100,00 R$ 110,00

ORIENTAÇÕES

Para efetuar a inscrição, o participante deverá seguir os seguintes passos:
a) Acessar o site do evento e preencher a ficha de inscrição disponível no link INSCREVA-SE;
b) Efetuar depósito bancário correspondente ao pagamento da inscrição;
Dados da conta
Bradesco
Agência: 2080
CC: 741-2
CNPJ: 17.870.559/0001-75 (Arqueotec)

c) Enviar o comprovante de pagamento de inscrição para o e-mail do evento: contato@engenhosarqueologia.ufpe.br.
Observação: A confirmação da inscrição está condicionada ao pagamento da inscrição, de acordo com os prazos e categorias de participantes.

INFORMAÇÕES GERAIS

Os resumos poderão ser encaminhados até o dia 31 de agosto de 2015.
As comunicações (oral e pôster) aprovadas serão divulgadas através de carta de aceite encaminhada ao primeiro autor até o dia 05 de setembro de 2015.
Cada apresentação oral terá a duração de 15 minutos.

RESUMOS

A elaboração de resumos para as Comunicações Orais e Pôsteres devem seguir o seguinte modelo:



Os resumos devem ser encaminhados para a organização do evento, através do e-mail contato@engenhosarqueologia.ufpe.br.
Observação: No eventual caso de resumo não aceito em nenhuma das modalidades de apresentação de trabalhos, o/a proponente estará automaticamente inscrito/a como ouvinte.

PÔSTER

Os pôsteres aprovados devem ter impressão em lona. O tamanho MÁXIMO é de 1,50 m de altura x 0,70 m de largura. A Organização disponibilizará suportes para fixar os trabalhos no local de exposição. A retirada do pôster no horário indicado pela organização é de responsabilidade do apresentador. A Organização não se responsabiliza pelos pôsteres não recolhidos no horário indicado.

A Comissão Organizadora não se responsabilizará por qualquer tipo de revisão gramatical e/ou ortográfica dos resumos. Solicita-se que os mesmos sejam revisados pelos próprios/as autores/as antes do envio.

PUBLICAÇÃO

Lembramos aos participantes do I Simpósio Internacional de Arqueologia de Engenhos e I Seminário de Arqueologia e Patrimônio Cultural de Pernambuco que a comissão científica publicará após o evento um livro com os trabalhos encaminhados até o dia 15 de novembro de 2015. A proposta dessa comissão é editar o livro até o dia 20 de dezembro de 2015. Clique aqui para fazer o download das normas.

INFORMAÇÕES

Organizado pelo Departamento de Arqueologia e o Programa de Pós-Graduação em Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco, o I Simpósio Internacional Arqueologia de Engenhos e o I Seminário de Arqueologia e Patrimônio Cultural em Pernambuco conta com a participação na comissão organizadora e comissão executiva dos seguintes pesquisadores:

COMISSÃO ORGANIZADORA

Coordenação geral
Profa. Dra. Cláudia Alves de Oliveira

Comissão Científica
Prof. Dr. Scott Allen
Profa. Dra. Neuvânia Curty Ghetti
Profa. Dra. Daniela Cisneiros
Profa. Dra. Viviane Castro
Prof. Dr. Sérgio F. S. Monteiro da Silva
Profa. Dra Lucila Ester Borges
Prof. Dr. Fernando Guerra
Prof. Dr. Carlos Rios
Prof. Dr. Ricardo Pinto

COMISSÃO EXECUTIVA

Presidente
Profa. Dra. Neuvânia Curty Ghetti

Dr. Alencar Miranda
Aliane Pereira de Oliveira - Arqueóloga
Ana Claudia Sales – Graduando
Carolina Sá – Arqueóloga
Cássia Kelly Mária da Cruz- Mestranda
Celyne Rodrigues Brito dos Santos Davoglio - Graduando
Ms. Emília Almeida Arnaldo - Doutorando
Fabiano Henrique do Nascimento - Mestrando
Ms. Igor Pedroza - Doutorando
Ilca Pacheco da Costa – Arqueóloga
Maria Aparecida da Silva Oliveira - Mestranda
Rafaele Alexandrina da Paz - Graduando
Rayanne Aguiar Pimentel e Silva – Graduanda
Ms. Rosemary Aparecida Cardoso- Doutorando
Simone Fernanda de Oliveira Costa - Arqueotec
Thales Walmir do Espírito Santo Silva – Graduando
Vanessa Rodrigues - Mestranda
Marcela Castro - Arqueóloga
Amanda Azevedo – Arqueóloga

REALIZAÇÃO

Organização | Departamento de Arqueologia – UFPE

Promoção
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO: PROPESQ, PROEXT, CFCH
LACOR – LABORATÓRIO DE ARQUEOLOGIA PARA CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO
LEA – LABORATÓRIO DE ESTUDOS ARQUEOLÓGICOS
ARQUEOTEC
FUNDAJ - FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO
DCEC - GRUPO DE PESQUISA DIÁSPORAS, CONTATOS E ENREDOS CULTURAIS
IPHAN
PREFEITURA DE ABREU E LIMA
ANX ENGENHARIA E ARQUEOLOGIA LTDA